Pesquisa – Indústria forte deve ser prioridade para o país

Brasileiros dizem que ter uma indústria forte deve ser prioridade para o país, informa pesquisa da CNI  –População afirma que a indústria é o setor mais importante para o crescimento da economia. Também é a atividade mais desejada para iniciar uma carreira profissional.

topo_cni2

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) revela que 87% da população brasileira concorda total ou parcialmente que ter uma indústria forte deve ser prioridade para o Brasil. Noventa por cento dos entrevistados acreditam, total ou parcialmente, que a expansão da economia depende do crescimento da indústria. “Para a população brasileira, a indústria tem papel de destaque no desenvolvimento econômico e social do Brasil. O brasileiro reconhece a importância da indústria para o crescimento do país e que a população perde com uma indústria fraca”, diz a pesquisa. O levantamento Retratos da Sociedade Brasileira – A indústria brasileira na visão da população, feita em parceria com o Ibope, ouviu 2.002 pessoas em 141 municípios entre os dias 14 e 17 de março deste ano. 

Conforme o levantamento, 33% consideram que a indústria – indústria de transformação e indústria extrativa – é o setor de atividade mais importante do país. Em seguida, vem a agropecuária, com 17%. A construção, o comércio e a administração pública aparecem com 10% cada um. Os demais setores somam 20%. Quando se soma os que responderam ‘indústria’ com os que responderam ‘construção’, o percentual chega a 43%. Da amostra da pesquisa, 71% não trabalha nem trabalhou em empresas industriais.
Apesar de reconhecer a importância do setor para a economia, 57% da população concordam total ou parcialmente que a indústria está perdendo espaço para outros setores. Para 82% das pessoas, a indústria brasileira é prejudicada pela concorrência com os produtos importados. O pesado sistema tributário, a falta de trabalhadores qualificados e a tecnologia existente são apontados como os principais aspectos que colocam o Brasil em pior situação em relação a outros países.
Apesar dos problemas, a população está otimista com o futuro da indústria. Quase metade dos entrevistados (46%) acredita que a indústria brasileira estará mais forte nos próximos cinco anos. Para 51% dos entrevistados, a prioridade deve ser o investimento na melhoria da qualidade da educação. A redução da inflação e da carga tributária foram apontadas por 34% e 18% das pessoas, respectivamente.
MAIS ATRAENTE QUE A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA – A indústria é a atividade mais desejada para a criação de empregos, de acordo com a opinião pública. Confrontados com uma situação hipotética de que a cidade em que residem iria receber um novo empreendimento que criasse 1 mil empregos, 40% dos entrevistados apontaram o setor industrial como o preferido. O percentual é bem superior ao do setor comercial, que ocupa o segundo lugar, escolhido por 13% dos brasileiros. Em seguida, aparecem a construção (11%), a agricultura (9%) e a administração pública (8%). Somando o resultado da indústria com o da construção, o percentual é de 51%.
O setor também aparece em primeiro lugar quando as pessoas apontam a atividade mais desejada para iniciar a carreira profissional. Para 23%, a prioridade é o emprego na indústria, que ficou à frente até mesmo da administração pública (18%). A pesquisa mostra que 95% da população acreditam que a indústria é importante ou muito importante para a criação de empregos. Um total de 60% concorda total ou parcialmente que as indústrias pagam melhores salários que os de outros setores. Esse é um dos motivos que levam os pais a desejarem que seus filhos trabalhem em atividade industrial: 74% disseram que concordam total ou parcialmente com a possibilidade de encorajar seus filhos a buscar uma vaga na indústria.

JC Limeira - Todos os direitos reservados 2016 | Desenvolvido por FMTurati WebDesign