Honda Automóveis do Brasil reúne imprensa para confraternização

Há 20 anos produzindo automóveis no Brasil, empresa comemora uma trajetória de investimentos e evolução contínuos, que a permitiram consolidar-se como uma das principais fabricantes nacionais. 

A diretoria da Honda Brasil, reuniu a imprensa de Limeira e região, em um almoço realizado no Restaurante Jangada, para renovar  parcerias e também celebrar as oportunidades para o ano novo.

image
Sérgio Bessa – diretor de Relações Públicas para a América do Sul e Carlos Eigi Miyakuchi, vice-presidente Honda Automóveis

Durante o almoço, Carlos Eigi Miyakuchi, vice-presidente da Honda Automóveis, fez um brinde, o tradicional: Shin nen Kai, para atrair bons fluidos para 2017, quando a Honda Automóveis completa 20 anos de Brasil.

Em 1997, a Honda Automóveis do Brasil inaugurou sua fábrica em Sumaré, no interior de São Paulo.Esse passo importante se deu apenas cinco anos após o início das importações para o País, experiência que deu tão certo que a Honda decidiu que era hora de expandir sua presença por aqui.

HSA_area externa

Com uma produção de 20 unidades diárias do modelo Honda Civic e 400 funcionários, a empresa iniciou sua trajetória de sucesso. Após seis anos produzindo apenas o Civic, a empresa deu início, em 2003, à produção do Honda Fit. Não demorou muito para que o carro se tornasse um sucesso de vendas, assumindo a liderança de sua categoria.

Em 2009, foi a vez de o City passar a ser fabricado no País, seguindo a trilha de sucesso dos lançamentos anteriores.

Já em 2015, o Honda HR-V chegou ao Brasil, reunindo os pontos fortes de carros de diversos segmentos. Ele conquistou a liderança entre os demais modelos da marca e se tornou o SUV mais vendido do Brasil.

O ano de 2016 marcou o lançamento do Novo Civic Geração 10 no mercado nacional, após a maior e mais extensa renovação do modelo em toda sua história, que resultou na criação de um automóvel mais sofisticado, espaçoso, seguro e tecnológico, com eficiência e desempenho.

Agora, a empresa prepara a chegada do WR-V, que vem para complementar a família de utilitários esportivos da Honda, composta pelos modelos HR-V e CR-V. O veículo foi desenvolvido pelo time de Pesquisa e Desenvolvimento da Honda Automóveis no Brasil, baseado em pesquisas sobre as demandas dos consumidores regionais.

Os modelos importados CR-V, Accord e Civic Si Coupé também fazem parte da linha comercializada no Brasil.

Atualmente, a capacidade da planta é de 540 carros/dia e a fábricas e aproxima da produção de 1,6 milhão de automóveis no Brasil.

Processos

Localizada em um terreno de 1,7 milhão m2, a HAB conta com 225 mil m2 de área construída onde são realizados os processos de estamparia, hemming (processo em que as chapas estampadas são agregadas para construir peças como porta-malas, porta e capô), fundição, solda, pintura, usinagem, montagem de motores e transmissão mecânica, injeção plástica e pintura, além, é claro, da montagem e inspeção final de todos os automóveis. A planta ainda concentra a unidade Power Train, responsável pela fabricação de motores e transmissões e que possui dois dos principais processos, fundição e usinagem; além do Centro de Pesquisa & Desenvolvimento, um dos principais fora do eixo Japão/Estados Unidos.

Conheça em detalhes os principais processos produtivos da fábrica da Honda Automóveis:

  1. Estamparia

É na estamparia que o processo tem início. As chapas de aço são prensadas, repuxadas, cortadas, dobradas e furadas para a fabricação da estrutura do carro. Em agosto de 2014, quando a fábrica se preparava para produzir o HR-V, o setor recebeu uma nova linha de prensas com 3 máquinas e 5 robôs dobrando a capacidade de produção.

  1. Hemming

A etapa chamada de hemming agrega as chapas estampadas para construir peças como porta-malas, portas e capô. Com o auxílio de prensas e robôs as partes estampadas são dobradas e fixadas. Até abril de 2015, a soldagem era feita manualmente utilizando solda ponto. O investimento na automação do manuseio e soldagem garantiu maior eficiência e segurança no setor, que atualmente conta com duas prensas e cinco células robóticas.

  1. Fundição

O setor de fundição fabrica o cabeçote, bloco do motor e carcaça de transmissão através da moldagem de alumínio líquido em moldes de aço. É um processo inicial na fabricação do motor.

  1. Usinagem

O setor de usinagem é responsável pelo acabamento de componentes de alumínio fundidos do motor e transmissão, como cabeçote e carcaça de transmissão. O processo dá precisão dimensional para o perfeito funcionamento do motor. O setor é fundamental para garantir a durabilidade dos motores Honda produzidos em todo o mundo.

  1. Injeção de plásticos

O setor de injeção de plásticos em Sumaré é um dos investimentos que asseguram à Honda a autonomia na fabricação de seus automóveis. Produzindo painéis e para-choques para os quatro modelos (Civic, City, Fit e HR-V), o processo conta com três injetoras de 3.000 toneladas e duas máquinas com capacidade para 800 toneladas.

  1. Solda

O processo de solda é fundamental para a construção de um automóvel. Nessa área é gravado o número de identificação do chassi e produzido o assoalho do veículo. Em seguida, o piso é unido às laterais, teto, capô, porta-malas e portas, dando características praticamente finais à carroceria. A inclusão de novos robôs resultaramem ganho de produtividade, eficiência e qualidade para a fábrica iniciar a produção do HR-V.

  1. Pintura

O processo de pintura inicia-se após a saída da carroceria da área de solda, recebendo um tratamento que prepara toda a superfície das chapas para obter a camada final de tinta, que é responsável pela cor e brilho do veículo. Em julho de 2013, um novo processo foi adotado para diminuir a quantidade de limalhas de ferro no primeiro banho de imersão, onde a carroceria é lavada. Com este equipamento, a qualidade final da pintura deu um salto de qualidade no último ano.

  1. Montagem de motores e transmissões

Nessa área são montados os motores e as transmissões manuais incorporados aos automóveis Honda. As transmissões automáticas são importadas.

  1. Linha de montagem

Na linha de montagem é onde os automóveis tomam sua forma final. Os carros recebem vários dos componentes da carroceria, como conjuntos de motor e transmissão, suspensão dianteira e traseira, rodas e pneus, painel, bancos, vidros e, para-choques. Em março deste ano, a linha recebeu um transportador aéreo de portas que garantiu a agilidade e produtividade da montagem dos veículos. A montagem da suspensão frontal também recebeu investimentos neste ano. O processo de prensagem consiste na junção do rolamento, junta e pinça de freio e é feito por robôs, prensas automáticas e multifuso. 

  1. Inspeção Final

Após a realização de todos os processos de construção e montagem, os modelos são levados à inspeção final, onde os veículos montados são inspecionados e submetidos a testes funcionais, showertest para verificação de infiltração de água e de rodagem em 100% das unidades na pista de testes, garantindo a qualidade final do produto Honda.

Investimentos

Ao longo dos anos, a Honda realizou constantes investimentos para aumentar a produtividade e a eficiência de seus processos. Mas o foco não foi só este.

Aos aportes no País, soma-se a instalação de um parque eólico na cidade de Xangri-Lá (RS), para abastecer com energia limpa a fábrica de Sumaré (SP), que contou com investimento na ordem de R$ 100 milhões.

Motivada pelo compromisso da fabricante em assegurar o bem-estar das futuras gerações, a Honda construiu um parque eólico próprio e passou a incorporar energia limpa e renovável na fabricação de seus automóveis, deixando uma mensagem positiva sobre a viabilidade de processos produtivos sustentáveis, que reduzem a emissão de poluentes no meio ambiente.

O empreendimento já proporcionou a geração de 148.534MWhde energia e permitiu que mais de 13 mil toneladas de CO2 deixassem de ser emitidas no meio ambiente, o que representa mais de 50% de redução nas emissões da fábrica de automóveis.

O fornecimento de energia também alcança o escritório da marca no Morumbi, na capital paulista. O edifício de 26.000m2 possui seis pavimentos e dois níveis de subsolo e é a sede da Honda Serviços Financeiros (HSF) – operação composta pelo Banco Honda, o Consórcio Honda e Seguros Honda, além de abrigar as áreas relacionadas às vendas de motocicletas e produtos de força.

A Honda é a única empresa do setor automotivo nacional autossuficiente em energia renovável e também a obter o Certificado de Energia Renovável, cedido pela ABEEólica (Associação Brasileira de Energia Eólica) e pela Abragel (Associação Brasileira de Geração de Energia Limpa).

O parque conta com nove aerogeradores, resultando em uma capacidade total de 27,7MW. Em uso pleno, o empreendimento alcança a geração de 85.000 MW/ano.

Sobre a Honda no Brasil: Em 1971, a Honda iniciava no Brasil as vendas de suas primeiras motocicletas importadas. Cincoanos depois, era inaugurada a fábrica da Moto Honda da Amazônia, em Manaus, de onde saiu a primeira CG, até hoje o veículo mais vendido do Brasil. De lá para cá, a unidade produziu mais de 22 milhões de motos, além de quadriciclos e de motores estacionários que formam a linha de Produtos de Força da Honda no País, também composta por motobombas, roçadeiras, geradores, entre outros. Para facilitar o acesso aos produtos da marca, em 1981 nasceu o Consórcio Honda, hoje a maior administradora de consórcios do mercado nacional, que faz parte da estrutura da Honda Serviços Financeiros, também composta pela Seguros Honda e o Banco Honda. Dando continuidade à trajetória de crescimento, em 1992 chegavam ao Brasil os primeiros automóveis Honda importados. Em 1997, a Honda Automóveis do Brasil iniciava a produção do Civic, em Sumaré (SP), de onde já saíram mais de 1,5 milhão de veículos. Durante esses anos a empresa também inaugurou Centros Educacionais de Trânsito, de Treinamento Técnico, de Distribuição de Peças e de Pesquisa & Desenvolvimento. Estruturou uma rede de concessionárias hoje composta por aproximadamente 1500 endereços. Em 2014, em uma iniciativa inédita no segmento, a Honda inaugurou seu primeiro parque eólico do mundo, na cidade de Xangri-Lá (RS). O empreendimento supre toda a demanda de energia elétrica da fábrica de Sumaré, reduzindo os impactos ambientais das operações da empresa. Em 2015, a Honda AircraftCompany anunciou a expansão das vendas do HondaJet, o jato executivo mais avançado do mundo, para o Brasil. E a segunda planta de automóveis da marca foi construída na cidade de Itirapina (SP) porque muito mais está por vir. Saiba mais em www.honda.com.br e www.facebook.com/HondaBR

JC Limeira - Todos os direitos reservados 2016 | Desenvolvido por FMTurati WebDesign