Estudo da prefeitura avalia incidência de criadouros da dengue em Limeira

Foto Adilson Silveira (1)O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) divulgou nesta quinta-feira (9), o resultado do “Relatório de Avaliação de Densidade Larvária”, realizado em Limeira no mês passado. O trabalho avaliou a incidência de larvas do Aedes aegypti em 5.202 imóveis do perímetro urbano. O índice do município ficou em 0,5, considerado satisfatório. O índice de infestação predial é classificado de acordo com três categorias: até 1 (satisfatório); de 1 a 3,9 (alerta) e acima de 3,9 (risco).
 
De acordo com a coordenadora do CCZ, Pedrina Aparecida Rodrigues Costa, esse levantamento deve ser realizado pelo menos três vezes ao ano, nos meses de janeiro, julho e outubro, atendendo às normas técnicas estabelecidas pela Secretaria Estadual da Saúde. “A prevenção à dengue é uma das principais metas de governo Mario Botion. Dentro desse contexto, essa avaliação contribuirá para a tomada de decisão sobre quais áreas serão priorizadas pelos agentes de controle de zoonoses, a fim de reduzir o número de criadouros”, ressaltou Pedrina.
 
Pedrina informou que 32 recipientes apresentavam larvas do Aedes aegypti. Desse total, seis criadouros estavam em pratos ou pingadeiras de plantas; cinco em objetos inservíveis; quatro em ralos externos; três em vasos de planta na água; três em bebedouros de animal e o restante em locais diversos.
 
Os agentes responsáveis pelo trabalho de campo encontraram, ainda, 1.889 recipientes disponíveis para a oviposição dos mosquitos, tais como latas e frascos inservíveis (301); pratos de planta (258); garrafas PET (236); latas e frascos utilizáveis (200); baldes e regadores (133), entre outros. Pedrina ressaltou que a maioria desses recipientes (86,4%) poderia ter sido facilmente removida pelos moradores. Outros 6,3% potenciais criadouros estavam em ralos externos e internos. Nesses casos, a coordenadora recomenda o uso de água sanitária como medida de controle.
 
Apesar do índice satisfatório e de todo trabalho de prevenção à dengue realizado pela Prefeitura de Limeira, Pedrina fez um alerta sobre a grande quantidade de recipientes com água nos imóveis pesquisados. “A população precisa colaborar, pois tal situação favorece a proliferação do Aedes aegypti. Todos os objetos inservíveis devem ser eliminados pelos moradores e aqueles que são úteis, como pratos de vasos, garrafas retornáveis, baldes e regadores devem ficar em áreas cobertas para evitar o acúmulo de água, finalizou”
 
Fotos: Arquivo/Prefeitura de Limeira
 
JC Limeira - Todos os direitos reservados 2016 | Desenvolvido por FMTurati WebDesign