Cidades europeias estão entre as mais sociáveis do mundo

O estudo ‘Cidades Sociais’, conduzido pelo site de reservas de hostels e albergues Hostelworldé a primeira análise comparativa da vida social das cidades do mundo e das opiniões dos moradores locais sobre viagens globais e sobre turistas.

3Estudo mediu “sociabilidade” com base em dez categorias distintas, incluindo a freqüência com que as pessoas socializam, a abertura e a “propensão para a confraternização”
· Em geral, as cidades escandinavas e norte-americanas são as mais sociáveis do mundo, com Londres classificada apenas em vigésimo primeiro lugar Gotemburgo, na Suécia, é a cidade mais sociável do mundo – de acordo com um novo estudo sobre a sociabilidade global, conduzido pelo site de reservas de hostels e albergues Hostelworld. O estudo, o primeiro comparativo da vida social das cidades do mundo, analisou o comportamento e as atitudes sociais de 12.188 residentes de 39 cidades importantes de 28 países, analisando dez categorias de sociabilidade – que abordam como os moradores se socializam ou a abertura geral com outros – dos mais de 12.000 habitantes de grandes cidades do mundo.
Com as viagens sociais em ascensão e os jovens viajantes priorizando destinos com base na experiência social, ao invés de experiência cultural, este estudo surge na tentativa de entender quais as cidades mais hospitaleiras a receber jovens mochileiros. Gotemburgo, a “Little London” da Suécia, encabeça a lista das “cidades mais sociáveis”, seguida por Estocolmo, Chicago e Boston.
 
Top 10 das Cidades Mais Sociáveis
1. Gotemburgo (Suécia)
2. Estocolmo (Suécia)
3. Chicago (EUA)
4. Boston (EUA)
5. Nova York (EUA)
6. Copenhague (Dinamarca)
7. Madrid (Espanha)
8. Roma (Itália)
9. Hamburgo (Alemanha)
10. Dublin (Irlanda)
 
“Experiências de viagens sociais são uma força motriz por detrás das razões das pessoas viajarem. Jovens viajantes estão optando por ficar em albergues e hostels por causa da oportunidade de conhecer outros viajantes, e pelo o ambiente social e pelas aventuras espontâneas que vêm com isso. A beleza de ficar em um albergue em vez de outras acomodações é que ele tem uma comunidade de viajantes de todo o mundo com quem socializar – por isso, não importa onde você está, você pode conhecer o mundo. Nosso novo estudo oferece uma janela para a vida social das pessoas que vivem em grandes cidades do mundo, mostrando muitas variações fascinantes entre estilos e culturas de todo o mundo”, diz Marek Mossakowski, gerente de marca global do Hostelworld.
 
Neste estudo, a fim de identificar os principais destinos para as experiências sociais, os entrevistados foram questionados sobre suas atitudes em relação a uma variedade de coisas, incluindo sobre como socializam com os amigos, comer fora ou festas. Diferentes cidades triunfaram em todas as categorias; No entanto, Gotemburgo superou três dos dez critérios e se colocou no top em três outros. As três principais cidades em cada categoria podem ser encontradas abaixo.
 
Guia Hostelworld para viajantes que procuram viagens sociais:
 
• Gastronomia Vibrante – Os viajantes interessados em comer fora e se envolver com os moradores durante o jantar devem visitar Nova York, Chicago e Boston, onde os moradores comem fora várias vezes por semana.
 
• Autênticas refeições caseiras – Os viajantes interessados em reuniões sociais privadas com os moradores devem visitar Copenhague, Praga e Varsóvia, onde os habitantes valorizam o entretenimento em casa.
 
• Cultura liberal e de mente aberta – Os viajantes interessados em conhecer pessoas de mentalidade aberta devem visitar Milão, Roma e Hamburgo, onde os habitantes locais estão aceitando uma ampla gama de estilos de vida.
 
• Atmosfera de festa – os viajantes interessados em festas e baladas com os locais devem visitar Moscou, Madrid e Gotemburgo, onde os habitantes locais encontrarão toda a desculpa para uma festa.
 
• Espírito de comunidade – Os viajantes interessados em uma vibe e espírito de comunidade devem fazer uma viagem a Gotemburgo, Copenhague ou Estocolmo, onde os moradores olham para a comunidade acima das necessidades dos indivíduos.

Tabela 2: As 10 categorias que compõem a sociabilidade, e as três principais cidades para cada categoria

Categoria 1.ª Cidade 2.ª Cidade 3.ª Cidade
Atividades Sociais
Frequência com que vê amigos
(nº de vezes / ano)
Jacarta
(151)
Madrid
(134)
Boston
(126)
Frquência de refeições em restaurantes
(nº de vezes / ano)
Nova York
(89)
Chicago
(88)
Boston
(72)
Frquência com que usam redes sociais (dias/ano) Gotemburgo
(356)
Estocolmo
(349)
Copenhague
(337)
Atitudes e Valores Sociais
Valor atribuído à socialização Gotemburgo Helsinkia Paris
Valor atribuído à diversão em casa Copenhague Praga Varsóvia
Prioridades sociais vs prioridades individuais Gotemburgo Copenhague Estocolmo
Diversão, Liberdade, Abertura e Confiança
Confiança nos amigos Praga Berlim Gotemburgo
Liberalidade Estocolmo Copenhague Gotemburgo
Abertura para outros Milão Roma Hamburgo
“Qualquer desculpa para festejar” Madrid Moscou Gotemburgo

 

Quando se olha para as diferentes categorias de sociabilidade, Nova York chega ao topo das cidades que mais vezes comem fora com os amigos. De fato, os nova-iorquinos comem fora de casa, em média, 89 vezes por ano, ou seja uma vez a cada quatro dias. Os nova-iorquinos ficam à frente dos moradores de Chicago, que, em média, comem 88 vezes fora de casa por ano. Boston (72) está em terceiro lugar, e depois, fora dos EUA, temos Kuala Lumpur (63) e as cidades turcas de Ancara (63) e Istambul (62).

Quanto à intensidade geral da atividade social, Jacarta ocupa o primeiro lugar. Em média, em Jacarta, os amigos encontram-se 151 vezes por ano. Ou seja, quase dia sim, dia não. Porém, só vão jantar fora entre amigos 18 vezes por ano, uma vez que preferem divertir-se em casa. Barcelona (e em certa medida Madrid) segue o mesmo padrão – uma alta frequência de socialização com os amigos, mas raramente à mesa de um restaurante. Copenhague é a cidade que mais gosta de entretenimento em casa e também é uma das cidades mais socialmente tolerantes, o que significa que os moradores de Copenhague têm tudo para ser os melhores anfitriões do mundo para um jantar bem caseiro.

As cidades escandinavas – Gotemburgo, Estocolmo e Copenhague – situam-se entre as cidades mais “socialmente ocupadas” e que dão maior importância ao que é bom para a comunidade em geral, em vez de se focarem no indivíduo. Atrás destas três cidades estão Tóquio, em quarto, e Banguecoque, em sexto.

Ao olhar para a importância que cada cidade dá à socialização, é uma vez mais Gotemburgo que aparece no topo, acompanhada da cidade escandinava de Helsínquia. Porém, também se destacaram Paris (em terceiro) e Dublin (quarto), que, nas suas diferentes formas, demonstram culturas citadinas que famosamente dão grande ênfase à vida social, mesmo que os locais não se reúnam tão frequentemente como em outras cidades.

Finalmente, em termos de festa e socialização, Madri e Moscou sobem ao pódio quando se trata de se identificarem com a frase “vou usar qualquer desculpa para ter uma festa”. Segue-se Gotemburgo, Jacarta, São Petersburgo, Seul, Deli e Barcelona.

Notavelmente ausente do topo das tabelas estão algumas das grandes cidades europeias, incluindo Paris, Berlim ou Londres. Apesar de todas as três terem cenas sociais vibrantes, os moradores locais de cada uma das cidades simplesmente não socializam tão frequentemente, vendo ocasiões sociais os eventos especiais e não tomando isso como ações diárias. Acessibilidade para socializar fora de casa, problemas de transporte e até mesmo falta de tempo para lazer também são fatores que ajudam a justificar estes resultados.

Veja mais: http://www.hostelworld.com/blog/cidades-mais-sociaveis-do-mundo?lang=pt-br

 

Sobre a pesquisa
O Índice de Cidades Sociais foi encomendado pela Hostelworld e construído a partir de dados coletados pela Foresight Factory (anteriormente Future Foundation) em estudo de pesquisa nacionalmente representativa conduzida on-line em 28 países em outubro de 2015, fevereiro de 2016 e outubro de 2016. O “Index Sociable Cities” foi construído sobre uma análise dedicada de um total de 12.188 entrevistas com moradores de cidades de todo o mundo, vivendo em 39 cidades em 28 países. Todos os cinco continentes estão representados, todas as principais capitais do mundo e a grande maioria das principais cidades de destino de viagens do mundo. Além disso, foram utilizados os dados da divisão populacional da ONU e os dados do World Values Survey. As 39 cidades do estudo são: Gotemburgo, Estocolmo, Chicago, Boston, Nova Iorque, Copenhague, Madrid, Roma, Hamburgo, Dublin, Toronto, Sydney, Paris, Baltimore, Varsóvia, Helsínquia, Vancouver, Milão, Berlim, Kuala Lumpur, Londres, Barcelona, Tóquio, Banguecoque, Moscou, São Petersburgo, Jacarta, Joanesburgo e Pretória, Cidade do México, Ancara, Rio de Janeiro, Praga, Istambul, Seul, Mumbai, Deli, São Paulo, Pequim, Xangai.

Sobre Hostelworld:
O Grupo Hostelworld é a plataforma líder de reservas de hostels e conta com o site Hostelworld, Hostelbookers e Hostels.com no seu portfólio de operações em 19 idiomas diferentes. Conectando jovens viajantes através de hostels em todo o mundo, o Hostelworld tem mais de 8 milhões de comentários e avaliações para cerca de 33.000 estabelecimentos em mais de 170 países. Os clientes Hostelworld não são os turistas habituais; eles interessam-se mais por experiências do que por lembranças e querem estar no centro da ação. Eles querem conhecer o mundo (“Meet The World”), e é a natureza sociável dos hostels que facilita as aventuras de viagem.

O Grupo Hostelworld está cotado em bolsa desde Novembro de 2015, nas principais bolsas de Londres e Dublin. Com sede em Dublin, o Hostelworld tem escritórios em Londres, Xangai, Sydney e Seoul, e foi recentemente premiado como Melhor Empresa Onde Trabalhar 2016 pela Great Place To Work Institute.

 
JC Limeira - Todos os direitos reservados 2016 | Desenvolvido por FMTurati WebDesign