A idade do ovário e o momento de engravidar

Mulheres que planejam ser mães, mas precisam adiar esse projeto devem estar atentas ao seu relógio biológico e à verdadeira idade de seus óvulos. Hoje, é possível saber se a mulher pode esperar ou não para ter filhos.

pregnant woman holding her belly and yellow flowerAté que idade posso esperar para ter filhos? Esse questionamento vem sendo cada vez mais comum entre as mulheres que querem estudar, crescer profissionalmente, construir uma sólida carreira profissional e acabam postergando a maternidade em seus projetos de vida.

A média de idade das mulheres que engravidam vem aumentando a cada ano. Se há alguns anos o início da maternidade era aos vinte, hoje, a média de idade do primeiro filho supera os trinta. “Essa é uma tendência cultural que tende a crescer ainda mais, é uma característica da mulher moderna. Porém, elas devem estar atentas ao seu relógio biológico, se por um lado, a aparência física pode ser conservada, o mesmo não acontece com ovários e óvulos”, alerta o médico, especialista em reprodução humana, João Sabino da Cunha Filho.

A cada ciclo menstrual, para cada óvulo que atinge a maturação, aproximadamente mil são perdidos. Neste processo contínuo e normal, a quantidade de óvulos de boa qualidade disponíveis para serem fertilizados vai diminuindo com o passar dos anos. Os que restam são chamados de reserva ovariana, que correspondem ao “estoque” de óvulos que permanece nos ovários disponíveis para gerarem um bebê.

“Para avaliar essa reserva ovariana, as mulheres contam com um exame de sangue que mede a dosagem do hormônio AMH – hormônio anti-mülleriano. A técnica permite descobrir a idade do ovário, dando uma ideia do número de óvulos existentes nos ovários, capazes de serem fertilizados, dando um indicativo da longevidade reprodutiva dessa mulher”, declara Dr. Sabino.O procedimento é simples e de fácil acesso, podendo ser feito por toda a mulher que planeja ter filhos, mas não no momento.

Dr. Sabino explica que, após os 30 anos, a taxa de gestação espontânea entra em declínio e, consequentemente, a dificuldade para engravidar é crescente, variando de mulher para mulher. Após os 35 anos, na maioria das vezes, este número já fica bem menor, iniciando-se um maior declínio da fertilidade. O ovário fica mais velho, independente da aparência física. “Estima-se que uma mulher acima de 38 anos tenha somente 10% dos óvulos que possuía na época da sua primeira menstruação”, revela o especialista. “Com o exame ainda não é possível prever a idade do início da menopausa, mas podemos ter uma ótima ideia da idade funcional do ovário”, afirma o especialista.

Além da idade, fatores externos podem influenciar a reserva ovariana e devem ser considerados. “O álcool, o cigarro ou tratamentos de quimioterapia contribuem para a diminuição da longevidade reprodutiva”, explica.

Para as mulheres que decidem adiar a maternidade, mas temem a idade avançada de seus ovários, Dr. João Sabino recomenda a utilização da técnica de congelamento de óvulos (oócitos).

Com pós-doutorado na área de reprodução humana, João Sabino é diretor da clínica Insemine, professor da faculdade de medicina e da pós-graduação da UFRGS e professor livre docente da USP, atuando também como pesquisador do CNPq, revisor de diversas revistas internacionais da área. Tem mais de 200 artigos e livros publicados sobre o tema.

JC Limeira - Todos os direitos reservados 2016 | Desenvolvido por FMTurati WebDesign